O pai da dona de casa Letícia Helena Feitosa Bastos, de 19 anos, contou nesta segunda-feira (13) que encontrou o corpo da filha dentro de uma fossa após receber prints de mensagens que teriam sido enviadas pelo genro, Lucas Dias Costas, de 19 anos, a outras pessoas, em Anápolis, a 55 km de Goiânia. Ao ser preso, o rapaz confessou que matou a mulher, jogou o corpo no buraco, ateou fogo e, em seguida, cobriu com entulho.

“Joguei o corpo e ficou duas horas queimando. Depois joguei um monte de entulho por cima. Nossa, eu tenho que sumir. Minha mãe nunca mais vai querer olhar na minha cara”, diz a mensagem que teria sido escrita pelo jovem.

Robison conta que no dia 23 de outubro a filha foi à casa dele dizendo que realmente ia se separar. Na ocasião, o pai chamou Letícia Helena para ir para a fazenda passar uns dias , mas ela preferiu viajar para a casa da mãe, em Uruaçu, norte goiano.

Letícia Helena foi vista pela última vez em 31 de outubro, após voltar para Anápolis. Na ocasião, ela saiu da casa de uma amiga dizendo que ia encontrar o marido para que ele lhe entregasse o filho do casal, de 1 ano e 11 meses, pois ela havia viajado para a casa da mãe, e ele viajou com o bebê para a residência da sogra da vítima.

“Um dia antes do crime, ele mandou mensagem dizendo que amava minha filha e marcando o encontro para o dia seguinte. Ele manipulou tudo, usou o filho, usou o amor que ela tinha para acabar com a vida dela. Não conseguimos mais contato e começou o pesadelo”, disse o pai.

O pai da vítima relatou que, ao questionar o genro sobre o sumiço da filha, ele chegou a dizer que a deixou em um terminal de ônibus e voltou para Goianésia.

“Ele foi frio. Agiu como se nada tivesse acontecido e ainda disse que comeu um salgado e tomou um suco antes de deixá-la no terminal”, relatou o comerciante.

Fonte: Diário7 com informações de Namiradopovo