Familiares e amigos lograram êxito em localizar destroços da aeronave em que moradores da linha 90, próxima a área da Reserva Indígena Rio Branco, zona rural do município de São Miguel do Guaporé, interior do estado de Rondônia, haviam ouvido o barulhos de uma forte explosão, restos mortais de duas pessoas foram encontrados no local da tragédia.

Segundo a Polícia Civil local, duas pessoas estariam na aeronave encontrada, os restos mortais foram encontrados e segundo os familiares de Adeilson Lenke (foto abaixo), ele seria um dos mortos. Na aeronave estaria patrão e funcionário.

A Perícia Criminal foi acionada e irá ao local realizar os trabalhos de praxes e remoção dos restos mortais das vítimas na manhã desta quarta-feira (23).

Segundo o filho de Adeilson Lenke, a aeronave era clandestina e não teria registro na ANAC – Agência Nacional de Aviação Civil – e nem plano de voou. O avião de pequeno porte era usado para se deslocar do estado de Rondônia para a região de Novo Progresso no estado do Pará onde trabalhava com minério.

Segundo o filho, Adeilson teria levantado voou no domingo (13) deste mês no Pará com destino ao município de Ariquemes, em Rondônia, desde então, não mais deu informação.