Colunista Márcio Fontes

Prezados leitores, segundo o IBGE cerca de  50% do povo brasileiro estão na linha da mais completa pobreza. Coincidentemente no Brasil cerca de 50% da própria população se tornou beneficiária de programas assistencialistas do Governo Federal.

Não adiantaria ficar citando todas estas benesses desde o Bolsa Família, cheio de irregularidades, até a generosa concessão de salários a filhos de presos ( já se fala inclusive que há diversas mulheres tendo filhos de dois até três presos diferentes para acumularem benefícios ).

De alguma forma, estas “generosidades” com o dinheiro de quem trabalha e produz honestamente com o suor do seu esforço,  são consideradas formas indiretas e sutis de “compra de votos”, eminentemente eleitoreiras,   agindo, por conseguinte, em prejuízo da produção de bens e serviços.

Não temos a menor dúvida, pelo BLOG, que estas medidas foram altamente negativas e prejudiciais ao desenvolvimento do país quando, superada a primeira impressão de algo positivo, contribuiu significativamente para aumentar e inchar a dívida pública, desestimular a mão-de-obra na busca do trabalho ativo e, assim, inibir a geração e produção de avanços sociais no Brasil, uma vez que é amplamente conhecido o ditado popular que diz” não dê o peixe, o certo é ensinar a pescar”, justamente o oposto do que tem sido feito.

Para quem ainda não tinha visto o pleno fracasso do  regime bolivariano recentemente desenvolvido em alguns países e nem havia ouvido falar sobre as consequências deste famigerado regime ditatorial, disfarçado de democracia, utilizando-se do assistencialismo e do paternalismo —  o qual foi discretamente adotado, implementado e disseminado no Brasil nos governos do Partido dos Trabalhadores (PT), principalmente durante os mandatos do felizmente ex-presidente Lula, agora, começou a perceber os malefícios desse sistema, graças a Deus ainda não totalmente desenvolvido, que estamos vivendo em nível nacional.

O BLOG gostaria de poder transmitir a convicção que tem em afirmar que quem tiver esta experiência jamais irá se esquecer de seus males, dos prejuízos e  desconforto das   sequelas que cria e deixa, no hoje, no amanhã e no futuro de incertezas que está por vir, que ninguém tenha nenhuma dúvida, será cruelmente amargo, marcante e inesquecível, em decorrência da absurda polarização que a mídia incentiva e que se está deixando produzir no Brasil, entre uma nociva e infeliz esquerda e uma negativa e perniciosa direita, radicalização esta profundamente maniqueísta e prejudicial à melhoria da qualidade de vida do povo brasileiro.

Um detalhe muito comprometedor e claramente evidente na sua negatividade que estes Programas de Governo, sem ética por seu caráter eleitoreiro e assistencialista vêm mostrando, no dia-a-dia, é que muitas vezes quando “alguns destes pobres carentes assistidos” que se tornaram beneficiários desses privilégios, como que  “esmolas do Governo Federal” têm oportunidade de ocupar determinados postos de trabalhos são todos unânimes em recusar,  “pelo medo, sob pena de perderem as benesses oferecidas pelo Governo” —  e nós infelizmente sabemos e permitimos que muitas delas fossem “generosidades políticas oferecidas por políticos desonestos e caras-de-pau”,  muitas vezes de  forma politicamente corrupta e,  que assim, vem prejudicando o desenvolvimento da sociedade e, consequentemente, inibindo o crescimento do PIB, em nível nacional.

Todos os absurdos que estão ocorrendo no país têm sua  principal causa nos erros de políticas econômicas assistencialistas adotadas e implementadas socialmente no Governo de 13 anos do Partido dos Trabalhadores (PT).

Bom que os leitores saibam que não há da parte do BLOG nenhum posicionamento político-ideológico contra ou a favor desse ou daquele partido. Apenas, para poder ser escrito o BLOG tem suscitado diversas leituras, estudos e pesquisas de maneira a configurar opiniões que tenham consistência real no desenrolar dos fatos históricos ocorridos.

Assim ficou o BLOG sabendo que o período de maior desenvolvimento experimentado pelo Brasil no governo do Presidente Lula foi decorrente de uma fase auspiciosa na economia mundial, a maior depois da segunda guerra mundial. O Brasil experimentou desenvolvimento no PIB e uma gostosa sensação de maior folga financeira na população, com melhores condições de consumo e dos benefícios que isso traz. O que não se soube, não foi divulgado e não dava para perceber é que no mesmo período o Brasil foi o terceiro pior país de todos em se beneficiar dessa fase.

Só na América do Sul, Chile, Argentina, Uruguai, Colômbia, Peru e Equador e outros apresentaram melhoras bem mais significativas que o Brasil, o que pela condição natural dos recursos desses países é inconcebível e desmistifica e desvaloriza bastante “os grandes feitos do governo Lula”.

Passado esse período o governo Lula perdeu o seu romântico aspecto de sucesso, ampliou dificuldades a partir da crise mundial de 2008, acentuou progressivamente as características da atual crise que já se delineava, fruto das políticas paternalistas sem lastro financeiro seguro, perdendo totalmente o controle da corrupção endêmica que também  iniciara na “pseudo fase áurea de governo”, saiu do Governo sem enfrentar os problemas que se desenhavam,  procurando acompanhar sem nada conseguir contra a evolução deles,  que ampliaram as razões da derrocada da Ex-Presidente Dilma que também conseguiu apenas um mandato e meio na sua substituição.

Julgamos que não se esperava,  o que tudo prenunciava, que o mandato seria carta marcada, dando combustível e alimentando a crise que já se tornava aguda, pela inoperância e incompetência gestora e vertiginoso ímpeto avassalador na corrupção generalizada e endêmica que se instalou no país. O plano de Lula e do pessoal da “Democracia Bolivariana” devia ser que ele fosse novamente eleito após o segundo mandato da Presidente Dilma.

Com o assalto aos cofres da PETROBRAS, com as consequências e desdobramentos do endividamento do BNDES, para construir obras bilionários em outros países com alinhamentos bolivarianos, com a roubalheira sem precedentes na história do Brasil, quando os postos estratégicos da administração pública foram ocupados, em diversos níveis: federal, estaduais e municipais, com finalidades desonestas com desvios permanentes de recursos públicos “nunca antes ocorrido na história ”, felizmente o plano não deu certo. Foi implodido pela própria ganância.

Podemos citar vários exemplos recentemente ocorridos, que tiveram essa ajuda do Brasil durante os governos petistas e que hoje, têm colocado o problema migratório como um dos mais sérios da atualidade e que já extrapolou fronteiras atingindo vários países da América e mesmo o Brasil.

¨       O Haiti, cuja capital Porto Príncipe devido a  um terremoto, em 2010, foi transformada em ruínas, com 1.500.000 de pessoas desabrigadas sendo o país devastado por fenômenos sísmicos, provocados pela natureza e com grande parte da população daquele país obrigada a migrar para os países vizinhos, com grande intensidade para o Brasil.

¨       A Venezuela, país em que todos sabemos o que está ocorrendo, vitimada por regime político equivocado de natureza ditatorial, com a gravidade e a complexidade do Regime implementado com mãos-de-ferro por Hugo Chávez, sempre apoiado por Lula,  e seguido, com mais rigor, por Nícolas Maduro que vem se reelegendo por vários mandatos sucessivos como presidente da República Bolivariana da Venezuela, em desobediência a tudo e a todos , à semelhança do regime   implementado em Cuba, por Fidel Castro, e seguido por seu irmão Antônio Castro, e, agora, sucedido por Miguel Díaz-Canel;

¨       A Bolívia   tendo como ditador Evo Morales, quando ele próprio modificou as leis do país e há 12 anos vem sendo hóspede do palácio Quemado, sede do Governo em La Paz, grande amigo de Lula de quem  recebeu nada mais nada menos do que uma REFINARIA DE PETRÓLEO. sendo Evo Morales alinhado ao regime bolivariano, adotados por seus vizinhos ditadores.

No Brasil, a atual  crise sócio-político-institucional estava demorando muito, mas chegou de uma forma arrasadora,  para mostrar que o regime bolivariano tem o formato perfeito do comunismo, com a camuflagem de um regime democrático e quando no fundo, no fundo não passa de um regime ditatorial-populista, cujos efeitos para o Brasil e para o seu povo seriam os piores possíveis.

Prezados leitores, onde esta crise poderá chegar? Por mais que tentemos não estamos conseguindo VER uma saída convincente nas próximas eleições de outubro, nem alçando os olhos vislumbrar uma luz no final do túnel.

¨       Acreditamos que seja fruto do equívoco da implementação da Política Bolivariana infelizmente adotada no Governo de Lula e da Dilma por estes últimos 13 anos;

¨       Crasso e mal intencionado erro na formação de  Políticas Públicas Sociais, de caráter predominantemente eleitoreiro, assistencialista e paternalista;

¨       Malversação de recursos do país e do povo brasileiro nas concessões de empréstimos subsidiados com recursos financeiros contraídos pelo BNDES, no valor de bilhões de dólares, para construir obras em países, preferencialmente de regimes político  semelhante em vários continentes. Por incrível que pareça, em um país repleto de problemas,  o montante de recursos financeiros liberados pelo BNDES para construir estas obras faraônicas atingiu R$50,5 (Cinquenta bilhões e quinhentos milhões de reais) a 140 grandes empresas fora do país, alinhados à política bolivariana, em detrimento das necessidades da população brasileira

¨       Esse imenso   volume de dinheiro  seria  mais do  que o necessário para estruturar toda uma infraestrutura, com diversos modais logísticos, suficientes para escoar a nossa produção para abastecer os centros consumidores — como concluir as ferrovias abandonadas e pavimentar e recuperar as condições das péssimas estradas  do Brasil.    alinhados à política bolivariana, em detrimento das necessidades da população brasileira;

¨       Corrupção generalizada e sistêmica facilitada e ampliada desde o Mensalão e continuada no atual governo do Michel Temer;

¨       Degradação do Patrimônio Público, da dívida pública da falta de ética, moral e  autoridade do Governo Federal incluindo os demais poderes e a  ausência de harmonia entre eles, comprometendo, seriamente a governabilidade do País;

¨       Total perda de governabilidade institucional, agravada pela nítida falência do sistema judiciário que se notabiliza pela fragilidade e promoção da impunidade.

¨       A decisão do Superior Tribunal Federal (STF) manter a não autorização da contribuição sindical obrigatória soma alguns pontos para a Suprema Corte, que tem, seguidamente decepcionado a maioria da população honesta, quando inocenta políticos corruptos, que meteram a mão no bolso do povo, mesmo com prova cabais e condenações em segunda instância.

¨       Contribuição sindical tem que ser espontânea, de livre ação do trabalhador ou não estamos numa democracia?  Sindicalismo é coisa séria e não pode ser um meio de vida para espertos. Nos Estados Unidos existem 190 sindicatos, na África do Sul 191 e no Brasil quase 18 mil.

¨       A decisão do STF foi das mais acertadas e coloca ponto final na prática de um sindicalismo que só atende os interesses dos diretores dos sindicatos e era usado como forma de propagação da “democracia bolivariana”.  Como vivemos numa outra democracia, mesmo que precisando de urgentes vitaminas e fortificantes,  o pagamento compulsório de uma dia de trabalho é no mínimo um abuso. ;

¨       Nossa política cotidiana transformou-se em uma guerra verdadeiramente suja e nojenta, em que a desinformação e a má informação têm hoje papel central. Essa desinformação vem da própria mídia, dos 35 incríveis partidos políticos, de diferentes grupos sociais e dos cidadãos e das cidadãs de um modo mais geral.

¨       Discussão de ideias e de projetos, consensos, reuniões,  respeito mínimo às regras do jogo e educação cívica,  passam longe de todos, nessa situação, para não se falar dos políticos e  de alguns candidatos e candidatas, novos  ou tentando a reeleição, que mesmo ainda fora do período eleitoral  democraticamente colocam na lama os direitos humanos e da cidadania como ponto de partida.

¨       Vivemos momentos e situações verdadeiramente preocupantes. Primeiramente   pelo fato de que em nosso dia a dia reproduzimos  essa desinformação que domina a sociedade brasileira.

¨        Não sabemos mais como – e às vezes nem temos condições de – distinguir a mentira em relação à verdade, a verdade em relação à mentira; estamos cheios de zaps, de redes sociais e de “fake news” o que, por si só, já revela as tragédias que vivemos, já explica os desastres políticos, sociais e culturais que nos aconteceram nos últimos anos, bem como já serve de base para uma previsão sobre os acontecimentos que ainda estão por vir, dada essa guerra fratricida e burra de falsos progressismos e conservadorismos, entre instituições, partidos, grupos sociais e cidadãos e cidadãs.

¨       BASTA!!! CHEGA DE POLÍTICA DE TENDÊNCIA BOLIVARIANA. APESAR DE TUDO AINDA SOMOS DEMOCRÁTICOS MESMO VIVENDO NUMA DEMOCRACIA MEIO…MEIO…NEM SABEMOS O QUE!!!

¨       Em quem acreditarmos? Em quais informações podemos confiar? Destacando que  informações falsas geram conflitos, divisões e estados de ânimo que conduzem para uma situação de violência constante, de baixaria grosseira, prejudicando a construção e a elaboração de projetos políticos conjuntos, a busca cooperativa da solução dos problemas sociopolíticos que enfrentamos e que precisam ser enfrentados é absolutamente necessária para não  provocarem distúrbios sociais e crises políticas bem graves e sem fim nas instituições e entre os partidos políticos.

¨       Outro ponto igualmente importante dessa situação consiste no fato de que a crise levou muitas pessoas passam a se desinteressarem da política, do exercício da cidadania e da crítica, da discussão e da participação público-política, apostando, em muitos casos, na indiferença, no  não envolvimento tornando-se alvos mais fáceis  dos modismos e da notícias falaciosas que elegem o maniqueísmo como seu horizonte normativo, moral, a partir do qual a sociedade, as instituições, os grupos sociais e os cidadãos são mensurados e compreendidos.

¨       Com efeito, em uma situação de desinformação, contradições e manipulações permanentes como podemos viver, estimar, promover e agir democraticamente? Em uma situação dessas é bem provável que agir democraticamente signifique sofrer violência e falta de legitimidade e isto já está ocorrendo.

¨       Por isso, muitos grupos sociais, cidadãos e cidadãs ou se tornam manipuladores, promovendo essa enxurrada de deslegitimação, ou se retiram para sua esfera privada de vida, abdicando da política, deixando-a exatamente nas mãos e no controle dos aproveitadores, daqueles que promovem esta situação  de desinformação e sustentam esta visão de Brasil  dividido  e polarizado como condição de forçarem  de qualquer forma a sua hegemonia.

  • Aliás, não podemos nos enganar quanto a esse ponto: em sua grande maioria, a desinformação e o radicalismo – que andam de mãos dadas – são promovidos, estimulados e fomentados exatamente por partidos, grupos sociais, cidadãos e cidadãs que somente podem conquistar hegemonia por parte dele, que somente podem alcançar visibilidade e apoio público-políticos por meio dele. É verdade que já há muito preconceito e  violência socialmente vinculados, culturalmente enraizados e respaldados e politicamente viabilizados.
  • Mas, conforme o BLOG está enfatizando, está-se utilizando a democracia para se promover e se perpassar publicamente essa situação, em flagrante espírito antidemocrático, em pungente violação dos direitos humanos.
  • Infelizmente o maior destaque desta postura tem sido o ex-presidente Lula. Como brasileiro vindo do povo que é deveria compreender que para o  Brasil sair da crise e se desenvolver precisa de paz, de harmonia, de compreensão. Deveria compreender que esta PRESO, recolhido a uma prisão  por razões que não têm nada a ver com ideologia política.
  • Foi condenado por razões que transcendem a sua vida e o seu papel político. Como  brasileiro  não deveria ser o fomentador principal  do maniqueísmo atual, fortalecendo e açulando a esquerda, tentando ser um mártir bolivariano ou um ressuscitado esquerdista que fracassou e morreu na sua tentativa de criar uma Democracia Bolivariana no  Brasil, que tenta reviver candidatando-se novamente como deveria ser o plano original caso não tivesse existido o impedimento da Ex-presidente.
  •  Não está sendo brasileiro, com amor ao povo e à Pátria como diz. Está sendo egoísta, narcisista e presunçosamente nocivo ao ambiente político do país.
  • Por isso, de todos os partidos políticos e candidatos que buscarão, neste ano, o apoio popular para suas propostas queremos ver, ouvir, ler e analisar seus projetos políticos para nossa cidade, para nosso estado, para o Brasil .
  • Queremos avaliar se seus projetos e suas propostas objetivam com consistência  a transformação do país para o desenvolvimento socioeconômico e para a moralidade público-institucional.
  • Prezados leitores estes posicionamentos servem também para nós, grupos familiares, sociais e de trabalho, porque precisamos saber superar essa situação de desinformação e de manipulação bolivariana e alcançarmos um ideal de maturidade política e de civismo democrático que nos possibilite discutir e interagir racionalmente uns com os outros.
  • Essa crise social, política, institucional, cultural e econômica que vivemos hoje – isso precisa ficar bem claro – não foi gerada apenas no nível de corrupção partidário-institucional, o que significa que ela não é apenas uma crise política; ela também foi causada cultural, social, economica, ética e moralmente, principalmente na honestidade,  a partir da quebra de consensos democráticos mínimos que vínhamos vivendo, mesmo que com bastante fragilidade, há muito tempo.
  • Precisamos enfrentar nossos problemas que são bem maiores do que a crise da corrupção político-institucional que vivemos.
  • Na verdade estes problemas estão presentes em nossa sociedade, em nossa cultura , em nossas famílias e  grupos sociais, e precisamos desconstruí-los todos, um por um, dia após dia, individual e coletivamente.

v  Podemos fazer isso combatendo a  desinformação e o BLOG está tentando, mas precisamos  estar mais juntos, da promoção de uma discussão civilizada e do respeito e da acolhida para com nossos amigos e vizinhos, da tolerância e do acolhimento às  nossas diferenças e do tratamento racional.

v  Estamos no mesmo barco, e afundaremos todos juntos. Por isso, a transformação e o resgate da nossa democracia tanto na  esfera privada como na  esfera pública é fundamental e necessita  de uma postura cívica por parte de todos nós.

LEIA, COMENTE E DIVULGUE O BLOG. PRECISAMOS DESENVOLVER UMA CONSCIÊNCIA COLETIVA PARA A MELHOR FORMAÇÃO CIDADÃ QUE CONSIGAMOS CONQUISTAR.

LINK: http://blogdomarciofontes.blogspot.com ou acesse o Blog pelo diario7