Nesta postagem, amigos do Blog vamos procurar mostrar alguns aspectos menos conhecidos aos quais estamos submetidos. A sociedade brasileira está habituada a levar a sua vida calmamente, acordando, tomando café, os filhos quando os há, indo para a escola, e os pais, um ou os dois, indo para o trabalho que a vida não está fácil.

Celulares, algumas conversas via zap e a volta para casa, descanso após um dia cansativo e os programas de sempre: Malhação, Deus Salve o Rei, Jornal Nacional e o Segundo Sol, raramente outra televisão quando já adquiriu nojo da Globo.

Depois cama, para recomeçar no dia seguinte. Assim se descreve de forma simples a vida de milhões de brasileiros, com poucas oportunidades de melhorar a qualidade de vida, raras ocasiões de diversões, poucos recursos, mas tranquilos e até satisfeitos nessa sua aparente zona de conforto que, pelo menos lhes permite continuar vivendo, fora do contexto cada vez maior dos excluídos, dos formais e dos atuais desempregados.

Com a gasolina a praticamente 5 reais e outros fenômenos igualmente absurdos, trabalhando de 4 a 6 meses apenas para pagar impostos, vai levando a vida e rezando, cada vez mais enchendo as igrejas, principalmente evangélicas, que se multiplicam avassaladoramente, nelas ou de outra maneira,  buscando forças, consolo e  a ilusão da esperança de melhorar as condições de vida. 

NÃO HÁ MELHOR REGIME QUE O DEMOCRÁTICO. Mas essa falsa democracia que estamos vivendo, com tipo de regime intervencionista e autoritário, exercido pelos poderes executivo, legislativo e judiciário sobre a população; fazendo-a de idiota, cobrando dela a sua manutenção em estado de falta de educação, insegurança e saúde deficiente, apenas para sustentar a facilidade de manipulá-la e a corrupção irrefreável dos Membros dos Poderes; a forma como parte do Judiciário tem agido; a incompetência e a inércia do Congresso configurando um governo  totalmente sem rumo é inaceitável,

ESSA É A VERDADEIRA DEMOCRACIA? PODEMOS AFIRMAR QUE O BRASIL É DEMOCRÁTICO?  O país que faz leis para proteger bandidos, enquanto 50 mil brasileiros são assassinados todo o ano? O que valoriza e premia a impunidade? O que age em função de holofotes da mídia e de interesses corporativos?

 Que democracia é essa, onde um Desembargador, transformado em superautoridade, apenas como plantonista de final de semana, manda soltar seu ex chefe, condenado por corrupção, sem se considerar impedido, e, pior, fica tudo por isso mesmo?  É essa a democracia que querem nos impor como povo brasileiro que somos? Aceitaremos sempre o papel de vítimas?

Portanto, que se cuidem os poderosos de plantão, que andam rindo do povo brasileiro em suas salas acarpetadas, com ar condicionado e dinheiro abundante. A evolução da democracia pode ser o fim de tantas injustiças. Que se preparem! Precisamos dar o primeiro passo nas eleições de outubro, escolher bem e começar a caminhada da transformação da nossa constituição, muito mais socializante do que democrática, do nosso sistema político, o mais bolivariano da atualidade e visando preservar a democracia direta que nós temos e construir a democracia social da qual tanta necessidade possuímos para um país que cresça, distribua sua riqueza, seja honesto e justo.

Na verdade somos obrigados a reconhecer que o resultado disso tudo é o Brasil que estamos vivendo. À beira de uma desconstrução, à beira de uma desagregação social. O Brasil está à beira da Nicarágua, da Venezuela, da Bolívia, à beira do AVC e do  desespero e falência total. Nesse país de tendências bolivarianas o que nada tem a ver com o nosso, o real, o Brasil em que crescemos, há autoridades, empresários, comerciantes, pessoas de todos os tamanhos abusando dos seus poderes, beneficiando-se de medidas que jamais seriam aprovadas pela maioria da população, tratando-nos como se fôssemos um povo idiotizado e sem poder de raciocínio ou de reação.

 Estão brincando com fogo! Correm todos os riscos, expõem-se, perdem o senso da responsabilidade, apenas para servir a interesses que não são os nossos. Não  vamos resolver totalmente o problema na eleição de outubro, mas certamente podemos e devemos dar o primeiro passo. A população precisa se personalizar e escolher melhor nossos representantes, o que no momento podemos fazer para que um dia possamos dar o troco no corruptos e na corrupção com um país sendo saudável.

“Quem somos nós, povo comum, que trabalha e vive de casa para o trabalho e assim por diante.? Afinal quem somos nós e o que representamos? Por acaso somos omissos, covardes e também desonestos? Claro que não e diremos isso!

No meio de artigos, sites, revistas chegou ao  conhecimento do blog um texto que vamos disponibilizar para vocês.

“ A Associação Juízes para a Democracia, é uma entidade não governamental, sem fins lucrativos ou corporativistas, fundada em 13 de maio de 1991, com sede na cidade de São Paulo”.  São 21 artigos do Estatuto de uma entidade que existe no Brasil, mas que é secreta, porque ninguém conhece seus membros; eles não assinam petições públicas ou manifestações e, incrivelmente, têm enorme espaço na mídia.

Entre mais de 15 mil magistrados do país, eles são pouco mais de 70. Defendem o comunismo, as posições antidemocráticas, mas usam, como outros iguais a eles, a palavra Democracia como se a ditadura deles fosse a única opção para a sociedade.

Representam menos de meio por cento da categoria dos Magistrados brasileiros, mas falam em nome dela, sempre anonimamente, conseguindo enormes espaços na mídia esquerdista, que domina as redações dos grandes jornais, emissoras de TV e Rádio do país, além de dezenas de sites e blogs a serviço dessas teorias.

As mesmas, aliás, que estão destruindo países como a Venezuela. E que, em todo o Planeta, com raríssimas exceções, estão sendo expurgadas, porque jamais construíram. Apenas destruíram.

Quando se pronuncia, sempre sem assinatura de ninguém, essa entidade alienígena dos meios do Judiciário causa enorme constrangimento em toda a categoria que diz fazer parte. Juízes anônimos? Foi essa a única entidade nacional que divulgou apoio à decisão esdrúxula do Desembargador Rogério Favreto de soltar, em pleno domingo e na condição de plantonista, o ex Presidente Lula, condenado a 12 anos de prisão.

O documento, apócrifo, mas em nome dessa entidade que não tem endereço, telefone, e-mail ou qualquer de seus membros identificados, deixou novamente  envergonhada toda a estrutura do Judiciário do país. E indefesa, porque não há como se defender contra o anonimato covarde.

No artigo 18 do seu Estatuto, a entidade dos juízes anônimos comunistas, diz que “o Presidente dessa Associação a  representará em Juízo e nos atos da vida civil, facultada a delegação de poderes a outro membro do Conselho de Administração”.  Até  hoje espera-se que tal autoridade se apresente dirigentes se identifiquem. E não o fazem porque sabem das consequências. É um punhado de pessoas que levam sua ideologia para os tribunais e, certamente, para suas decisões nos autos.

Se identificados, alguém poderia pedir a análise das decisões tomadas e, provavelmente, se constataria que muitas injustiças foram cometidas, em nome das ideias pessoais.  

O jornalista Cláudio Humberto, um dos mais bem informados do país, comenta em seu Blog, com o título de “Um negócio rentável”, as negociatas da República Sindicalista implantada o Brasil, denunciando, por exemplo, que a liberação de uma carta sindical, que ele chama de “cartão de nascimento da uma entidade dessas”, pode custar entre 200 mil e até 4 milhões de reais, dentro do sistema corrupto de liberação destes documentos pelo Ministério do Trabalho.

A Polícia Federal deflagrou a Operação Registro Espúrio. Na primeira fase dos trabalhos policiais, segundo a revista Veja, foi descoberto um sistema de corrupção envolvendo, como sempre, gente graúda.

Segundo a Veja,  a operação “mostrou como funciona a engrenagem de concessão de registros sindicais no Ministério do Trabalho, com o pagamento de propina a servidores indicados politicamente por caciques de PTB e do Solidariedade, como Roberto Jefferson e os deputados Jovair Arantes e Paulinho da Força, alvos da operação em maio. Também estão enrolados os senadores Dalírio Beber e Cidinho Santos, atualmente licenciado.

Numa segunda fase das investigações, o alvo principal foi a filha de Roberto Jeferson, a deputada Cristiane Brasil. Por enquanto, o Ministério do Trabalho decidiu suspender por 30 dias a concessão de novas cartas sindicais. Será que isso basta? Segundo Cláudio Humberto, não!

A operação da PF na Câmara Federal e no Ministério do Trabalho – escreve ele – “mostra que o rentável negócio de criação de sindicatos, atraiu o submundo da corrupção!”. Vai mais longe:“Turbinado nos governos do PT, o fenômeno fez o Brasil reunir 91 por cento de todos os sindicatos do Planeta, com mais de 16.700 entidades registradas”, O jornalista ainda acrescenta outra informação, quase inacreditável: apenas nos governos petistas, foram criados mais de 15 mil sindicatos,  Como uma democracia real pode permitir que isso aconteça sem conhecimento e aprovação do povo? Isso é pura safadeza da mais reles e descarada. E pensar que alguns animais bípedes tentam justificar isso, o que nem com muita vantagem que nem isso têm pois só lambem as casquinhas de pão…

 Estes textos foram transcritos apenas para que vocês saibam e passem a pensar no está se passando no Brasil e que na nossa vidinha nem desconfiamos,  embora sejamos os que sofremos com os efeitos desastrosos dessas instituições.

Prezados leitores do Blog procurem se informar o mais que puderem e praticar nas eleições de outubro o voto mais consciente que conseguirmos.

Um consultor amigo da OEA disse-nos que se o Brasil continuar no rumo da Nicarágua, Bolívia e da Venezuela, com essa falsa democracia esquerdista bolivariana, com a utopia da esquerda bolivariana da América Latina, não aguentará o próximo mandato. São 32 benefícios dados a esmo entre bolsa família, bolsa filho de detento, bolsa disso e daquilo, auxílio viagem, auxílio moradia, auxílio” coffee brake “  e vai por aí a fora acrescidos de  outros 23 penduricalhos e os 52% DA POPULAÇÃO QUE TRABALHAM E FINANCIAM O ESTADO JÁ ESTÃO NO SEU LIMITE e daqui há pouco serão menores salários, menos empregos, menos comida e uma nova democracia esquerdista liberiana a lado da Venezuela e outras.

Nossa última e principal chance é o nosso primeiro passo de libertação dessa corja: votar bem nas eleições. Nada de político vitalício, com mais de três, quatro mandatos, só votar em ficha limpa, reconduzir ao Parlamento, Assembléias e Câmaras o mínimo possível,  e levantar a vida “tim tim por tim tim” de cada um a ser votado.

LINK : http://blogdomarciofontes.blogspot.com ou acesse o diario7