Notícias

Eletronuclear instala internet em aldeias e quilombos na Costa Verde


A Eletronuclear concluiu a instalação de internet em seis aldeias indígenas e três quilombos nos municípios de Angra dos Reis, Paraty e Rio Claro, na Costa Verde fluminense. O projeto se insere no programa socioambiental da empresa, responsável pela gestão e construção das usinas nucleares no Brasil, e atende condicionante estabelecida pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) para a licença de operação da Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto, em Angra dos Reis. No total, 578 famílias foram contempladas pela iniciativa nas nove comunidades.

“Eu acho que é importante isso [instalação de internet] para a própria inserção das comunidades no mundo. São aldeias e quilombos isolados que precisam ter acesso à internet. Nós identificamos essa questão, foi uma iniciativa nossa, e que também acabou passando pelo Ministério Público Federal quando de uma audiência, que está em discussão, pelo não cumprimento de condicionantes ambientais. Nós colocamos que estamos trabalhando e conseguimos realizar com sucesso, apesar das dificuldades, a instalação de internet nessas aldeias indígenas e quilombos”, disse nesta quinta-feira (20) à Agência Brasil o presidente da estatal, Eduardo Grand Court.

Rio de Janeiro, 20/07/2023, Matéria sobre inclusão digital de povos tradicionais da Costa Verde fluminense. Foto: Divulgação

Inclusão digital de povos tradicionais da Costa Verde fluminense – Foto: Divulgação

Grand Court destacou que uma aldeia, em Mamangá, em Paraty, quase na divisa com São Paulo, não era sequer servida por energia elétrica. A Eletronuclear conseguiu com o fornecedor a instalação de placa solar e baterias para poder atender aquela aldeia específica com internet.

Renovação

Os trabalhos foram iniciados em 19 de junho deste ano nas aldeias Karai-Oka, Itaxi-Mirim, Itaxi Kanaa Pataxó e no quilombo Campinho da Independência, em Paraty. No dia seguinte, a internet foi instalada na aldeia Rio Pequeno, na mesma cidade, e no quilombo Santa Rita do Bracuí, em Angra dos Reis. No dia 22 do mesmo mês, foi contemplada a aldeia Sapukai, localizada na Terra Indígena Guarani do Bracuí, também em Angra dos Reis. No começo de julho, o serviço chegou à aldeia Arandu-Mirim, em Paraty, e ao quilombo Alto da Serra do Mar, em Rio Claro.

O serviço de internet é ilimitado nas nove comunidades, além da sua manutenção durante cinco anos. Após esse período, a iniciativa será renovada visando suprir uma lacuna do Poder Público, explicou Grand Court.

Rio de Janeiro, 20/07/2023, Matéria sobre inclusão digital de povos tradicionais da Costa Verde fluminense. Foto: Divulgação

Inclusão digital de povos tradicionais da Costa Verde fluminense – Foto: Divulgação

Oportunidades

A falta de internet foi identificada quando representantes das comunidades não puderam se deslocar das aldeias e quilombos para comparecerem a uma audiência, nem tinham meios de participação por videoconferência.

Um dos beneficiados é Benedito Bernardo Leite, 79 anos de idade, integrante do quilombo Alto da Serra do Mar, em Lídice, distrito de Rio Claro. “Estou aqui desde 1958 e nunca imaginei ter uma oportunidade como essa, de poder falar com quem eu quiser. Tenho 37 netos e bisnetos. Hoje, a gente vai evoluir. Para as crianças, vai valer muito”, comemorou.

Para a vice-cacique da aldeia Karai-Oka, Marcia Parai da Silva, que dá aulas na comunidade, a internet será de grande valia. “Eu fiz o ensino médio e o magistério em Santa Catarina. Precisei sair daqui para estudar. Hoje, faço faculdade de Pedagogia à distância. A internet vai me ajudar bastante. Eu quero expandir o meu conhecimento para atender a minha aldeia, meus alunos. Estou muito feliz por isso”, disse.

O projeto da Eletronuclear contribui também para a preservação da cultura e língua dos povos tradicionais, permitindo compartilhamento e preservação das tradições e idiomas típicos, além de oferecer oportunidades profissionais para os quilombolas e indígenas, que costumam vender produtos artesanais para geração de renda.

Por Agência Brasil

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo